Minha Casa Minha Vida garante um Carnaval ainda mais feliz em Salvador

2016-02-05_mcmv-interna-01

O Carnaval de 500 famílias de Salvador (BA) será ainda mais feliz neste ano. Além da folia, os soteropolitanos poderão curtir a casa própria no Residencial Lagoa da Paixão, entregue na quarta-feira (3) pela presidenta da CAIXA, Miriam Belchior. A presidenta da República, Dilma Rousseff, comandou a cerimônia de entrega das chave direto de Indaiatuba (SP) para outros sete municípios nos estados da Bahia, Ceará, Maranhão, São Paulo e Paraná.

Cerca de 80% das famílias beneficiadas pelo Minha Casa Minha Vida em Salvador realizaram também o sonho de sair de áreas de risco. É o caso de Claúdia Corrêia e seus três filhos, que moravam em um barraco sem saneamento básico, no bairro de Canabrava, na periferia da capital baiana. “Toda vez que chovia, a lama entrava pela casa junto com os ratos”, conta.

A água suja e o lixo provocaram problemas de saúde na família. “Meus filhos foram internados três vezes e eu peguei dengue”, disse a mãe de Cauãn, de 9 anos, e dos gêmeos Wynnie Gabriela e Adrian Gabriel, de 4 anos. “Nem acredito que estou aqui hoje e que teremos um lugar descente para morar”, festeja Cláudia, que também vai dividir o apartamento com a mãe, Alda Maria.

2016-02-05_mcmv-interna-02

Letícia Evangelista é outra beneficiária que deixou uma área de risco com seus quatro filhos. Moradora da região de Nova Brasília, também na periferia de Salvador, a doméstica viu a casa ser atingida por alagamentos várias vezes, até que foi levada para um abrigo. Depois, passou a receber aluguel social da Prefeitura.

Com um sorriso largo, Letícia, festeja a possibilidade de ter uma casa própria e ainda mobiliada.  “Tanto tempo vivendo em área de alagamento e agora recebo minha casa já com tudo dentro”, contou a beneficiária, que foi escolhida para receber o apartamento decorado – cortesia da construtora responsável pelo empreendimento.

O Residencial Lagoa da Paixão tem 25 prédios com apartamentos de dois quartos, sala, banheiro, cozinha, área de serviço e piso cerâmico em todos os ambientes. As unidades estão avaliadas em R$ 64 mil.

O condomínio conta com parque infantil, centro comunitário, pista para caminhada e quadras poliesportivas. A região tem, ainda, escola, creche e um hospital para atender à população beneficiada.

Share Button

Minha Casa Minha Vida beneficia 7.840 famílias em cinco estados

2016-02-03_mcmv-interna-02

Direto de Indaiatuba, a 100 quilômetros de São Paulo, a presidenta da República, Dilma Rousseff, comandou, nesta quarta-feira (3), a entrega simultânea de 7,8 mil moradias do programa Minha Casa Minha Vida. Mais de 31 mil pessoas foram beneficiadas em nove municípios do país – além de Indaiatuba, Itu e Jundiaí (SP); Salvador, Camaçari e Luís Eduardo Magalhães (BA); Caucaia (CE); Timon (MA) e Campo Mourão (PR).

Dilma participou da cerimônia de entrega das chaves de 2.048 unidades do Condomínio Residencial Indaiatuba, que contou com a presença de autoridades federais, estaduais e municipais. No discurso, a presidenta destacou a magnitude do MCMV que, segundo ela é o maior programa popular de interesse social da América Latina. “No ano passado, o MCMV entregou, por dia, a chave da casa própria para 1.220 famílias.”

Dilma Rousseff informou, ainda, que outras 1,6 milhões moradias estão contratadas e serão entregues. Sobre a terceira etapa do MCMV, ela calcula que serão construídas mais 2 milhões de residências até 2018.

A presidenta aproveitou o evento para alertar a população sobre as doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypt. Segundo ela, 2/3 das águas paradas estão nas casas brasileiras. “Temos que provar que este país é mais forte que o mosquito”, disse.

2016-02-03_mcmv-interna-01

Miriam Belchior em Salvador
A presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, participou da entrega de 500 moradias do Residencial Lagoa da Paixão, em Salvador. “Mais de 80% das famílias contempladas aqui hoje vêm de áreas de risco”, informou. Segundo Miriam Belchior, o programa MCMV dá certo porque é fruto da parceria entre governos. “Hoje, 628 mil baianos moram em um imóvel do programa. E isso só acontece porque fazemos parcerias”.

O residencial entregue na capital baiana teve um investimento de R$ 32 milhões do governo federal e as unidades habitacionais estão avaliadas em R$ 64 mil. No total, os empreendimentos entregues nesta quarta-feira em nove municípios somam R$ 780 milhões.

Todas as unidades têm 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico nos ambientes. Além disso, atendendo às exigências de qualidade do MCMV, as moradias são equipadas com infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgoto, drenagem e energia elétrica.

Números do MCMV:
Até dezembro de 2015, foram entregues pelo programa 2,5 milhões de moradias em todo o país – beneficiando mais de 10 milhões de pessoas. No estado de São Paulo, foram entregues mais de 443 mil unidades, beneficiando mais de 1,7 milhão de pessoas. Na Bahia, mais de 672 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega de mais de 168 mil unidades. No Ceará, foram entregues mais de 59,6 mil unidades, beneficiando mais de 238 mil pessoas. No Maranhão, foram entregues mais de 80 mil unidades, contemplando mais de 320 mil pessoas. Já no Paraná, o PMCMV beneficiou mais de 914 mil pessoas com a entrega de mais 228,5 mil unidades habitacionais.

2016-02-02_mcmv-entregas-interna

Share Button

Mulheres são as maiores contratantes do MCMV Rural

2016-01-27_mcmv-capao-interna

A maioria dos titulares das unidades construídas pelo Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR) – mais conhecido como Minha Casa Minha Vida Rural – é composta por mulheres chefes de família. Elas respondem por 75% dos contratos das residências, segundo dados da Superintendência Nacional de Habitação Rural da Caixa Econômica Federal. Desde a criação, em 2009, o MCMV Rural já investiu R$ 5 bilhões na contratação de mais de 170 mil unidades em todo o país.

Criado para atender agricultores familiares, comunidades indígenas, descendentes de quilombolas, extrativistas e pescadores que vivem em áreas rurais; ribeirinhos ou cidadãos que moram em regiões de difícil acesso (como as de mata e florestas); o MCMV Rural já superou em 110 mil unidades a meta de contratação até o ano de 2014, quando a previsão era ter fechado contrato para 60 mil casas.

Segundo a superintendente nacional de Habitação Rural da CAIXA, Noemi Lemes, foi possível alcançar 170 mil contratos graças à parceria do programa com estados, municípios e governos estaduais em todas as regiões do país.

Representação
As unidades do MCMV Rural, diferente da versão urbana, são construídas por entidades organizadoras (sindicatos, associações, organizações não governamentais) sem fins lucrativos, representando grupos de, no mínimo, quatro e, no máximo, 50 famílias. Elas podem ter renda anual entre R$ 15 mil e R$ 60 mil (ver infográfico). Outra característica do MCMV Rural é que o programa também permite a reforma ou a ampliação de moradias já existentes.

Somente em 2015 foram contratadas cerca de 8 mil casas em todo o Brasil – o investimento ultrapassou R$ 240 milhões. As unidades têm pelo menos 40 metros quadrados, fossa séptica, água encanada e são construídas em áreas já pertencentes às famílias beneficiadas.

“O MCMV Rural beneficiou famílias em todos os 26 estados e no Distrito Federal. Uma das características do programa é que ele chega a lugares de difícil acesso, como a Ilha do Marajó, no Pará, e aos rincões mais distantes do país. No Nordeste, por exemplo, temos visto muitas casas novas mudando a paisagem da região. Além de garantirem moradias mais dignas aos trabalhadores rurais, elas estão colorindo o sertão”, afirma Noemi Lemes.

2016-01-27_infografico-mcmv-rural

Share Button
Bug da paginação