Arquivos da categoria: Fique por dentro

São Paulo abre a temporada dos Feirões CAIXA da Casa Própria

A aposentada Albertina Bueno, de 61 anos, acordou às 3h30 nesta sexta-feira (24). Acompanhada da filha, Luciana Oliveira, e da nora, Alessandra Araújo, partiu do Butantã, bairro da zona oeste de São Paulo, rumo ao Pavilhão de Exposições do Anhembi. Duas horas e 20 quilômetros depois, o trio garantiu o primeiro lugar na fila do 11º Feirão CAIXA da Casa Própria. “Várias amigas conseguiram comprar um imóvel aqui. Tenho certeza de que vou sair com um financiamento da CAIXA aprovado”, disse Alessandra Araújo, cheia de expectativa, antes da abertura dos portões, às 10h..

Tanto esforço em família valeu a pena. Apenas quatro horas depois de andar pelos estandes, o trio encontrou o imóvel que procurava. Aliás, os imóveis. Albertina e a nora Alessandra compraram apartamentos no valor de R$ 150 mil cada e serão vizinhas.

Os imóveis, localizados no Jardim Jaraguá, terão 50 metros quadrados, dois quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. A infraestrutura do edifício Veneza, com previsão de entrega no final de 2016, inclui terraço, salão de festas, churrasqueira e playground. “Estamos muito felizes! É só acreditar que dá certo”, comemorou Albertina.

A maratona de feirões da CAIXA começou nesta sexta-feira na capital paulista, em Belém e Recife. Até 14 de junho, o evento passará por 14 cidades brasileiras, incluindo a estreante Goiânia (veja cronograma completa abaixo).

A organização do Feirão de São Paulo dá uma ideia da sua dimensão: envolveu mais de 1,2 mil empregados da CAIXA. Consumidores poderão visitar estandes de mais de 180 parceiros – em torno de 115 construtoras e 60 correspondentes imobiliários da CAIXA – e avaliar ofertas de mais de 550 empreendimentos na planta, 40 mil imóveis novos e outros 40 mil usados.

Parceria de sucesso
2015-04-24_abertura-feirao-interna-01

Na solenidade de abertura do Feirão em São Paulo, a presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, lembrou a importância do evento na história da construção civil. “Em setembro de 2005, foi realizado o primeiro feirão. Foi uma iniciativa pioneira para garantir o acesso facilitado de imóveis à população. Também foi muito importante num momento de retomada do setor da construção a partir daquele ano.”

Para a presidenta, a parceria é o ponto-chave para o sucesso do Feirão. “Esse esforço coletivo tem caracterizado o crescimento da produção habitacional nesses últimos 10 anos. Essa mudança expressiva tem alguns fundamentos importantes. Primeiro, o grande aumento do volume de subsídios. Segundo, o grande aumento do volume de recursos de crédito para financiamento. Terceiro, a confiança do setor da construção civil e especialmente, o aumento da renda da população”, avaliou.

Atendimento
Para solicitar o financiamento da casa própria, no Feirão, basta levar documento de identidade, CPF e comprovante de renda. Os interessados também podem obter informações em todas as agências da CAIXA ou pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas por dia, incluindo finais de semana.

Calendário
Veja ​o quadro completo, com os locais e horários de cada Feirão deste ano:
?????????????????????????

 

Share Button

Feirão CAIXA da Casa Própria em Recife vai oferecer cerca de 20 mil imóveis

Os imóveis mais populares, com média de dois a três quartos, serão os destaques da 11ª edição do Feirão CAIXA da Casa Própria em Recife (PE), de 24 a 26 de abril. Segundo o Sindicato da Habitação em Pernambuco (Secovi-PE), a maioria das unidades ofertadas está localizada na Região Metropolitana do Recife, que abrange 13 cidades e representa uma população de mais de 4 milhões de pessoas.
2015-04-23_recifeinterna-02

“É na periferia e na Região Metropolitana que está a maior quantidade de imóveis. O custo do terreno fora de Recife é menor, então as oportunidades se concentram nestas localidades”, explica o presidente do Secovi, Elísio Cruz Júnior. Além disso há o grande potencial de valorização dos imóveis nas cidades de Abreu e Lima, devido à construção da primeira Refinaria de Pernambuco, um investimento que deve chegar a US$ 18,5 bilhões; e no município do Cabo de Santo Agostinho, com a construção da Reserva do Paiva. Este conjunto de imóveis que está sendo construído na praia do Paiva vem modificando a paisagem local e já está atraindo novos projetos residenciais e estimulando o comércio na cidade e no seu entorno.

O foco desta edição do Feirão é o financiamento de habitação popular do Programa Minha Casa Minha Vida e nas demais operações com recursos do FGTS, cujo teto máximo é de R$ 190 mil. Para o presidente do Secovi, o diferencial do Feirão da CAIXA em relação aos demais feirões é a oferta de itens novos e usados. “É um excelente atrativo comprar um imóvel e poder imediamente morar nele”, comenta. Estarão em oferta mais de 20 mil imóveis, sendo 7.471 empreendimentos novos, 11.402 mil imóveis novos e 1.640 usados.

O evento deve movimentar negócios e a economia do Recife, a terceira maior do Norte-Nordeste, depois de Salvador e Fortaleza, de acordo com dados do IBGE/2010. O PIB per capita do Recife, valor que representa a distribuição dessa riqueza pela quantidade de habitantes existentes, é de R$ 19,5 mil, resultado do crescimento de 61% desde 2006.

Para o superintendente regional da CAIXA, Paulo Nery, o Feirão será uma oportunidade para as famílias buscarem a realização do sonho da casa própria. “No Feirão, os visitantes têm acesso, num só local, aos principais lançamentos e a diversos imóveis, novos ou usados, disponíveis na região de Recife e Região Metropolitana, e ainda podem contar com as condições facilitadas que a CAIXA oferece”, comenta.

Elísio Cruz também ressalta o poder da variedade em benefício do consumidor. “O mercado está muito diversificado e isso ajuda muito o visitante. Ele pode visualizar tudo, de norte a sul”, garante. Com tanta oferta, é importante que o futuro comprador faça um planejamento e tenha em mente o tipo de imóvel desejado, a localização e os benefícios que procura. Mais de 400 empregados da CAIXA trabalham para a realização do Feirão de Recife, neste ano, além dos corretores das construtoras e imobiliárias, que estarão disponíveis para tirar as dúvidas do público.

Para requerer o crédito para a casa própria no evento, basta levar documento de identidade, CPF e comprovante de renda. Os interessados também podem obter informações em todas as agências da CAIXA ou pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas por dia, inclusive nos finais de semana.

Cidades

Depois de Recife, o 11º Feirão CAIXA da Casa Própria será realizado em Belém (PA), Fortaleza (CE), Campinas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Goiânia (GO).

 

Share Button

Feirão CAIXA da Casa Própria em Belém (PA) concentrará oferta para imóveis de até R$ 170 mil

Com 4,7 mil imóveis entre novos, usados e na planta, o Feirão CAIXA da Casa Própria em Belém deve aquecer, de sexta-feira a domingo, o mercado da capital paraense, com a expectativa de realização de muitas promoções por parte das 18 construtoras participantes, além das imobiliárias que estão com estande no maior evento imobiliário do estado neste ano.

“O mercado está mais benéfico este ano, porque as empresas, em função do contexto econômico atual, estão buscando fazer suas vendas com preços que são quase os mesmos do ano passado, corrigidos apenas pela inflação”, ressalta o gerente regional de Negócios da Caixa Econômica Federal no Pará, Guilherme Antônio Bacellar Cruz.
2015-04-23_belem-interna
Segundo o gerente, o volume de imóveis prontos e à venda, a maior parte deles em Belém e no município vizinho de Ananindeua, deve contribuir para o lançamento de grandes ofertas por parte das construtoras e imobiliárias, facilitando o fechamento de financiamentos pela CAIXA e correspondentes bancários. “A dinâmica do mercado mudou. Os empresários lançaram menos e, agora, procuram vender o estoque. Este ano, teremos um feirão muito interessante”, acredita.

Outra característica da edição de 2015 do Feirão CAIXA da Casa Própria é que a maior parte dos imóveis à venda faz parte das faixas 2 e 3 do Minha Casa Minha Vida. Além disso, também será possível financiar o imóvel pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Em Belém, o teto para financiamento pelo programa de habitação popular é de R$ 170 mil. Já em Ananindeua é de R$ 145 mil. O município da região metropolitana é responsável por 70% das casas e apartamentos expostos desta sexta (24) até domingo (26) no Hangar Centro de Convenções, na capital paraense.

O superintendente regional da CAIXA no Pará, Evandro Lima, destaca a praticidade que o salão traz para os interessados em adquirir a casa própria. “No Feirão, os visitantes têm acesso, num só local, aos principais lançamentos e a diversos imóveis, novos ou usados, disponíveis em Belém e na região metropolitana, e ainda podem contar com as condições facilitadas que a CAIXA oferece”, afirmou.

Em 2014, o Feirão CAIXA da Casa Própria bateu recorde de público no Pará ao receber mais de 41 mil pessoas em um fim de semana. À época, foram ofertados mais de 10 mil imóveis. Destes, 2,8 mil geraram negócios (28% do total). Para este ano, a previsão é de que o percentual seja semelhante para os 4,7 mil imóveis à venda.

A redução na quantidade de unidades disponíveis este ano se deve à mudança de estratégia da CAIXA, com foco voltado principalmente para os mutuários interessados em casas e apartamentos do Minha Casa Minha Vida nas faixas 2 e 3. “É a prioridade para a CAIXA viabilizar e realizar negócios para a menor faixa de renda da população”, ressaltou Guilherme Bacellar Cruz.

Os imóveis financiados por meio do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) são minoria este ano e têm valor máximo para financiamento de R$ 385 mil no Feirão em Belém.

Share Button